Black-hat Hacker consegue roubar 100 milhões do Facebook e Google.

Eita!

214

Em Março passado, o Departamento de Estado dos EUA anunciou que um lituano chamado Evaldas Rimasauskas tinha sido acusado, no âmbito de um ataque de e-mail conhecido por “phishing“, contra duas companhias baseadas nos Estados Unidos, não tendo estas sido identificadas.

Agora, uma investigação da revista Fortune apurou que essas duas empresas são a Google e o Facebook, que terão sido enganadas em cerca de 100 milhões de dólares (à roda de 92 milhões de euros).

O esquema fraudulento implantado pelo lituano acusado passou pela falsificação de endereços de e-mail, de faturas e de selos de empresas para se fazer passar por um fabricante asiático de computadores, a Quanta Computer, com quem as duas empresas de tecnologia faziam negócios frequentemente.

O objetivo era levar Google e Facebook a pagarem pelo fornecimento de computadores fictícios, como de fato fizeram, deixando-se enganar por e-mails supostamente inocentes.

O caso demonstra que “esquemas envolvendo phishing por e-mail e falsos fornecedores podem vitimizar até as corporações mais sofisticadas e especialistas em tecnologia“, realça a Fortune.

As duas tecnológicas tentaram abafar o caso, mas agora vêem-se obrigadas a reconhecer que foram enganadas.

“Detectamos esta fraude contra a nossa equipa de gestão de fornecedores e prontamente alertamos as autoridades”, salienta um porta-voz da Google citado pela Fortune, garantindo ainda que recuperaram o dinheiro, mas sem revelar detalhes quanto à quantia em que foram burlados.

“O Facebook recuperou a maior parte dos fundos pouco tempo depois do incidente e tem cooperado com as autoridades nesta investigação”, refere uma fonte desta empresa que escusa-se também, a entrar em detalhes sobre o caso.

As autoridades norte-americanas esperam que Rimasauskas seja extraditado da Lituânia para os EUA, para ser julgado, mas o seu advogado diz à Fortune que o cliente “não pode esperar um julgamento justo e imparcial” em Terras do Tio Sam.

 

FONTE: Fortune

você pode gostar também Mais do autor