Microsoft compra LinkedIn por US$ 26,2 bilhões de dólares

103

A Microsoft anunciou hoje (13), a compra da rede social profissional LinkedIn por 26,2 bilhões de dólares.

Cada ação da rede social será comprada por 196 dólares, totalizando os 26,2 bilhões. O anúncio foi feito em post publicado no blog da Microsoft.

Esta é a aquisição mais cara na história da Microsoft. Até então, o recorde era do Skype, comprado por US$ 8,5 bilhões. A divisão móvel da Nokia foi comprada por US$ 7,2 bilhões; e a Mojang (de Minecraft), por US$ 2,5 bilhões.

O LinkedIn irá manter sua independência e características após a aquisição. Na posição de CEO continuará o atual chefe executivo da rede social, Jeff Weiner. Ele se reportará diretamente a Satya Nadella, atual CEO da Microsoft.Reid Hoffman, chefe do conselho, cofundador do LinkedIn e grande acionista, participou das negociações e deu total apoio, afirma o texto.A aquisição será feita completamente em dinheiro–não existe permuta de ações nesse caso. De acordo com as empresas, o trâmite deve ser concluído ainda neste ano.

 

microsoft-linkedin-g1

 

 

“O time do LinkedIn criou um fantástico negócio centrado em conectar profissionais de todo o mundo”, disse Nadella no comunicado. “Juntos, podemos acelerar o crescimento do LinkedIn, assim como o de Microsoft Office 365 e Dynamics, à medida que procuramos empoderar todas as pessoas e organizações do planeta.
Mudamos a forma como o mundo se conecta a oportunidades, essa relação com a Microsoft e a combinação entre a nuvem deles e a rede do LinkedIn nos dá a chance de mudar o modo como o mundo funciona”, disse Weiner.Nos últimos 13 anos, estivemos posicionados para conectar profissionais e para torná-los mais produtivos e bem sucedidos, e estou ansioso para liderar nosso time ao longo desse novo capítulo da nossa história”, completou.

O acordo, que foi aprovado de forma unânime entre os conselhos da Microsoft e do LinkedIn, ainda terá de ser aprovado por acionistas do LinkedIn e agências regulatórias.

A princípio, a Microsoft vai financiar a operação por meio da emissão de novos papéis de dívida.

Vale lembrar que o LinkedIn é mais do que uma rede social: eles são donos do Lynda.com, uma plataforma de e-learning, e do SlideShare, para compartilhar apresentações na web; além disso, eles oferecem recursos para ajudar empresas no recrutamento de novos funcionários.

 

FONTE: G1

 

 

 

você pode gostar também Mais do autor