Samsung para de fabricar Galaxy Note 7 definitivamente

160

Acabou. A Samsung está encerrando a produção do Galaxy Note 7. Apenas um dia após a gigante sul-coreana ter interrompido as vendas mundiais, a companhia decidiu parar de fazer o dispositivo.

 

galaxy-note-7
Samsung

 

O fato foi primeiramente noticiado pelo The New York Times, citando “uma pessoa familiar ao assunto.”

Em um comunicado registrado na bolsa de valores nesta terça-feira, a Samsung informou que tomou uma decisão final de interromper a produção. Isso significa que a companhia não vai mais produzir ou divulgar o smartphone, disse uma pessoa, que falou em condição de anonimato, pois a Samsung não deu maiores detalhes sobre a decisão.

 

Em seguida, a Samsung enviou um comunicado ao Gizmodo confirmando que o Note 7 não vai mais ser produzido.

 

Visando a segurança dos consumidores, nós paremos de vender e trocar o Galaxy Note 7 e também decidimos encerrar a produção.

 

O encerramento permanente de produção começa a fechar um dos casos mais embaraçosos e sem precendentes na história de uma empresa que faz produtos tecnológicos para consumidores. Há um mês, a Samsung começou a atrasar a entrega de seu smartphone topo de linha, após relatos de que unidades estavam pegando fogo na Coreia e em algumas outras países asiáticos. A decisão foi seguida de um recall voluntário, que se tornou oficial após o envolvimento de autoridades que cuidam dos direitos dos consumidores.

Na primeira semana do anúncio oficial de recall, a Samsung começou o seu programa de troca de aparelhos nos Estados Unidos e em alguns outros países. No entanto, os problemas não pararam. Dentro de uma semana, começaram a aparecer relatos de dispositivos sem falha que começaram a pegar fogo, incluindo um durante um voo da Southwest. Desde a última semana, houve cinco casos de explosão de unidades substituídas, o que fez com que as operadoras dos Estados Unidos parassem a venda e troca dos Galaxy Note 7.

Se por um acaso você tem um Galaxy Note 7, você deveria devolvê-lo à operadora ou ao varejista de onde você comprou. Há uma série de aparelhos bacanas no mercado e que não oferecem risco a você e aos outros.

 

 

FONTE: Gizmodo

 

 

 

você pode gostar também Mais do autor